Publicidade

Posts com a Tag Economática

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011 Finanças | 13:04

Arrecadação de impostos atinge R$ 1,5 trilhão e equivale ao valor de mercado das 25 maiores empresas do Brasil

Compartilhe: Twitter

O Impostômetro, placar que calcula a arrecadação de impostos no Brasil mantido pela Associação Comercial de São Paulo, atingiu a marca de R$ 1,5 trilhão. O número equivale à soma do valor de mercado das 25 maiores empresas listadas na bolsa do Brasil, segundo cálculo de Einar Rivero, da Economatica.

A Petrobras é a empresa com maior valor de mercado no Brasil, que somava R$ 289,665 bilhões no dia 28 de dezembro. Na segunda colocação ficou a Vale, com 200,393 bilhões.

O cálculo da Economatica inclui ainda gigantes como Ambev e os bancos ItauUnibanco, Bradesco e Banco do Brasil.

Veja abaixo a lista com as 25 empresas de maior valor de mercado que, somadas, equivalem à arrecadação de impostos neste ano de 2011:



Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011 Bolsa de Valores | 12:33

Empresas de capital aberto perderam R$ 213 bilhões em valor de mercado no ano, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

As empresas de capital aberto brasileiras apresentam queda de valor de mercado de R$ 213,5 bilhões no ano, segundo análise de Einar Rivero, da Economatica, que considera 323 empresas.

As companhias, em dezembro de 2010, tinham valor de mercado de R$ 2,42 trilhões contra R$ 2,21 no dia 27 de dezembro de 2011.

Na conta, a Economatica considerou a adição dos IPO´s efetuados em 2011.
O setor com maior crescimento de valor de mercado foi Alimentos e Bebidas, com R$ 48,8 bilhões. O resultado foi puxado pela Ambev, que teve o maior crescimento de valor de mercado em 2011 com R$ 41,4 bilhões.
A segunda colocação em crescimento pertence ao setor de Energia Elétrica, que em dezembro de 2010 fechou com R$ 183,1 bilhões contra R$ 211,1 bilhões em 27 de dezembro de 2011, um crescimento de R$ 27,9 bilhões.
Já o setor com maior perda de valor de mercado no ano foi o de Petróleo e Gás, que passou de R$ 457,3 bilhões em dezembro de 2010 para R$ 360,5 bilhões em 27 nde dezembro de 2011, o que representa uma queda de R$ 96,8 bilhões.

A Petrobrás apresenta queda de R$ 78,9 bilhões no período analisado.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 27 de dezembro de 2011 Bolsa de Valores | 12:21

Cielo foi a ação mais rentável do ano, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

Dentre as 1.280 ações negociadas na América Latina, a Cielo ON foi a mais rentável do ano, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica. A rentabilidade foi de 51,1% no ano, de acordo com o levantamento.

No segundo lugar ficou a Fomento Econômico do México (FEMSA UBD) do México com rentabilidade de 50,7%, seguida pela Redecard do Brasil, com 46,2% de retorno no ano.

A análise destacou 82 ações com volume financeiro médio diário em 2011 superior a US$ 10 milhões. Nesse grupo há 65 ações brasileiras, 10 do México, cinco do Chile e duas da Colômbia.

Na outra ponta, a ação menos rentável do ano foi a HrT Petróleo do Brasil, com queda de 64,6%, seguida pela também brasileira Gafisa, que registrou queda de 63,3%.

As rentabilidades foram calculadas no ano de 2011 até o dia 26 de dezembro na moeda de cada pais.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011 Bolsa de Valores | 12:18

Volume financeiro anual da Bovespa é recorde, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

O volume financeiro da Bovespa em 2011 é o maior já registrado, com R$ 1.397,8 bilhões, número superior ao de 2010 quando a Bovespa movimentou R$ 1.394 bilhões. O cálculo é de Einar Rivero, da Economatica.

Em dólares, o volume de 2011 soma US$ 839,3 bilhões contra os US$ 793,5 bilhões do ano de 2010. Foi o maior da história.

Já o volume financeiro da Bovespa ajustado pelo IPCA até 30 de novembro de 2011 mostra que o maior volume já movimentado pela bolsa paulista foi no ano de 2010, com R$ 1.522 bilhões. O segundo maior volume é no ano de 2008 com R$ 1.477 bilhões. 2011 tem o terceiro maior volume financeiro acumulado com R$ 1.433 bilhões.

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011 Empresas | 12:52

Nova sócia da Gol, Delta Airlines é a segunda empresa com maior valor de mercado do setor, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

A Delta Airlines, que hoje anunciou a compra de uma participação minoritária na Gol, é a segunda empresa aérea com maior valor de mercado na América Latina e nos Estados Unidos, segundo Einar Rivero, da Economatica.

A empresa está avaliada em US$ 7,17 bilhões e é superada, apenas, pela LAN Chile, com US$ 8,10 bilhões.

As brasileiras TAM e Gol aparecem, respectivamente, na quinta e na sexta posições, com US$ 3 bilhões e US$ 2,2 bilhões.

A Delta também é a segunda maior empresa do setor em volume de vendas, com US$ 26,71 bilhões.

A lista é liderada pela UAL Corp, com US$ 26,7 bilhões. A empresa é, também, a mais lucrativa do setor, com US$ 978 milhões, seguida pela Delta, com US$ 429 milhões.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011 Finanças | 18:54

Desvalorização do dólar na semana é a sétima maior desde 1965, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

A desvalorização do dólar Ptax venda nesta semana, de 5,77%, é a sétima maior já registrada pela moeda norte americana perante o real desde 1965, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica.

O dólar Ptax venda fechou a semana em R$ 1,7843 contra R$ 1,8973 da sexta feira anterior (25 de novembro).

A moeda norte-americana não apresentava queda semanal tão alta desde a semana fechada em 31 de outubro de 2008, quando foi registrada a maior queda semanal desde 1965, de 8,48%.

Autor: Tags: , ,

Bolsa de Valores | 16:06

Bovespa tem 100 milhões de negócios em um ano pela primeira vez, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

Até ontem, neste ano, a Bovespa atingiu 100 milhões de negócios. É a primeira vez que a bolsa brasileira atinge essa marca no mesmo ano, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica.

Segundo ele, até o fim do ano, o volume de negócios deve ultrapassar os 110 milhões.

O melhor mês do ano foi agosto, quando a Bovespa teve 13,8 milhões de negócios. Foi também o melhor mês da história da Bolsa paulista.

Os últimos quatro meses do ano (Agosto a Novembro) foram os quatro meses com

maior numero de negócios mensais da Bovespa.

No ano passado, foram 81 milhões de negócios.

Autor: Tags:

quarta-feira, 23 de novembro de 2011 Empresas | 11:46

Rentabilidade das empresas não financeiras cai pelo terceiro trimestre consecutivo, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

No terceiro trimestre de 2011, a Rentabilidade sobre o Patrimônio Liquido (ROE) das empresas não financeiras teve queda pelo terceiro trimestre consecutivo. Já as empresas do setor bancário atingiram nível recorde. O cálculo é de Einar Rivero, da  Economatica.

A análise leva em conta o comportamento do ROE das empresas brasileiras de março de 2008 até setembro de 2011. O calculo do ROE é efetuado com o lucro acumulado pelas empresas nos últimos 12 meses.

O ROE médio nos 12 meses fechados em setembro de 2011 das empresas não financeiras foi de 10% contra 11,52% do segundo trimestre de 2011, de acordo com o levantamento, e voltou aos mesmos níveis de setembro de 2009 quando foi de 8,88%.

Em contrapartida o setor bancário brasileiro fechou o mês de setembro de 2011 com o maior nível de ROE desde setembro de 2008.

No mês de setembro de 2011 o ROE médio dos bancos foi de 17,31%. Em setembro de 2008 havia sido de 19,56%.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 22 de novembro de 2011 Bolsa de Valores | 11:15

Setor bancário é o mais lucrativo nos nove primeiros meses do ano, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

O setor bancário é o que tem maior volume de lucros no ano, até o terceiro trimestre, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica. Com 23 instituições, o setor acumulou R$ 37,2 bilhões em 2011 contra 31,8 bilhões do ano de 2010, o que representa um crescimento de 17%.

O segundo setor com o maior lucro nos três primeiros trimestres do ano foi o de mineração, com cinco empresas. A Vale, porém, representa praticamente todo o setor.

O lucro das empresas de mineração neste ano é de R$ 29,5 bilhões contra R$ 20,0 bilhões em 2010, o que representa uma alta de 46,8%.

O terceiro setor mais lucrativo em 2011 é o de Petróleo e Gás com R$ 28,3 bilhões. No mesmo período de 2010 o setor, queé representado praticamente só pela Petrobras, tinha alcançado R$ 24,9 bilhões, o que representa uma alta de 13,7% neste ano em relação ao passado.

Dos 25 setores listados pela Economatica dois apresentam prejuízo nos nove primeiros meses de 2011. Papel e Celulose foi o setor que mais perdeu, com prejuízo de R$ 640. No mesmo período do ano passado, as empresas do setor obtiveram lucro de R$ 1,3 Bilhões de lucro.

O setor de Eletroeletrônicos é o segundo setor da lista com prejuízos.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 14 de novembro de 2011 Empresas | 12:50

Vale é a empresa mais lucrativa da América Latina, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

A Vale e a Petrobras figuram no ranking das 20 empresas mais lucrativas nos Estados Unidos e América Latina elaborado pela Economatica, considerando-se os resultados do terceiro trimestre deste ano. No período, a Vale foi a empresa mais lucrativa da América Latina, segundo o levantamento feito por Einar Rivero.

O lucro da Vale no terceiro trimestre foi de US$ 4,25 bilhões (R$ 7,9 bilhões), valor que a coloca como a quinta empresa de capital aberto mais lucrativa da América Latina e EUA.

A Petrobrás, com lucro de US$ 3,41 bilhões (R$ 6,336 bilhões )no terceiro trimestre, fica na décima primeira colocação entre as empresas da América Latina e EUA.

A empresa mais lucrativa da América Latina e Estados Unidos no terceiro trimestre foi a Exxon Móbil, com lucro de US$ 10,3 bilhões.

Os setores de Petróleo/Gás e Eletroeletrônicos têm o maior numero de representantes, com quatro empresas cada.

Somente duas empresas da América Latina ficam entre as 20 maiores da amostra analisada pela Economatica.

As empresas do Canadá não fazem parte da amostra por não serem acompanhadas pela Economatica.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 3 de novembro de 2011 Empresas | 09:40

Banco do Brasil tem terceiro maior lucro da história, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

O Banco do Brasil superou o Bradesco e na lista dos maiores lucros da história dos bancos brasileiros no acumulado dos nove primeiros meses do ano.

Segundo levantamento da consultoria Economatica, os R$ 9,2 bilhões de lucro obtidos pelo Banco do Brasil são o terceiro maior ganho de bancos da história.

O resultado supera os R$ 8,30 bilhões do Bradesco em igual período deste ano.

O maior lucro, entretanto, é o do Itaú Unibanco, com R$ 10,9 bilhões entre janeiro e setembro deste ano.

O segundo lugar da lista também é do Itaú Unibanco, com R$ 9,43 bilhões, referentes aos nove primeiros meses de 2010.

Leia também:

Itaú Unibanco tem maior lucro da história

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 1 de novembro de 2011 Empresas | 10:07

Itaú Unibanco tem maior lucro da história, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

O Itaú Unibanco registrou o maior lucro da história dos bancos brasileiros em 2011, segundo levantamento da consultoria Economatica.

Entre janeiro e setembro, o banco lucrou R$ 10,9 bilhões.

O segundo lugar da lista pertence ao próprio Itaú Unibanco, com os R$ 9,43 bilhões registrados em 2010.

Em terceiro lugar, aparecem os R$ 8,30 bilhões do Bradesco, em 2011.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 18 de outubro de 2011 Bolsa de Valores | 06:01

Ibovespa tem o segundo pior desempenho das Américas, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

O índice Ibovespa – a principal referência da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) – tem o segundo pior desempenho entre os índices de bolsas da América Latina e dos Estados Unidos no acumulado de 2011. 

Segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica, a bolsa paulista tem perdas de 22,21% neste ano. 

Somente o índice Merval, de Buenos Aires, tem desempenho pior, com desvalorização de 24,02%. 

O índice Nasdaq, da bolsa de Nova York, tem perdas de 1,43% no acumulado do ano, o melhor desempenho no mercado das Américas, segundo a Economatica. 

No mês de outubro, o índice Merval tem a maior valorização, com alta de 8,66%, seguido por Nasdaq (8,26%) e S&P (6,14%). 

O Ibovespa, da bolsa de São Paulo, tem apenas o sétimo melhor desempenho – em uma lista de nove índices -, com alta de 3,03% no mês.

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 3 de outubro de 2011 Finanças | 05:59

Câmbio faz empresas brasileiras terem queda de quase 60% no lucro, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

Levantamento da Economatica aponta que a valorização do dólar pela PTAX no terceiro trimestre vai causar uma queda de 59,5% no lucro operacional das empresas brasileiras listadas em bolsa, excluindo-se a Petrobras, no balanço do terceiro trimestre deste ano. Incluindo-se a estatal, a queda chega a 76,7%, de acordo com o estudo feito por Einar Rivero.

Em 30 de junho, o dólar era cotado a R$ 1,561 enquanto na última sexta-feira, 30 de setembro, a moeda fechou valendo R$ 1,854, o que representa uma valorização de 18,79%.

A perda nos lucros das empresas chega a US$ 153,5 bilhões (cerca de R$ 290 bilhões), e US$ 80 bilhões (cerca de R$ 150 bilhões) excluindo-se a Petrobras, que foi individualmente a empresa com maiores perdas no período, de acordo com o levantamento da Economatica.

As perdas, porém, só se concretizarão caso as empresas não tenham hedge, que as protege de variações cambiais. As exportadoras também devem escapar do efeito do câmbio, já que a receita em dólar equilibra as perdas.

Leia também:

Bolsas iniciam o quarto trimestre em forte queda


Autor: Tags: ,

quinta-feira, 29 de setembro de 2011 Finanças | 12:39

Com alta de 15%, dólar foi a melhor aplicação de setembro

Compartilhe: Twitter

Lista das aplicações (Economatica)

Investir em dólar foi a melhor opção de aplicação no mês de setembro, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica. Entre 31 de agosto e 28 de setembro, o retorno da aplicação foi de 15%.

No ranking das melhores aplicações, a moeda norte-americana vem seguida do euro e do ouro, que tiveram retornos de 8% e 1%, respectivamente.

No levantamento de 31 de dezembro de 2010 a 30 de setembro de 2011, o ouro ficou no topo das aplicações, com retorno de 17,07%.

Já a Bolsa de Valores brasileira teve o pior desempenho entre as aplicações, tanto na lista do mês quanto no ranking do ano.

O Ibovespa, principal indicador da Bovespa,  caiu 5,71% em setembro e 23,14% no ano.

Veja a tabela das aplicações ao lado.

Leia também: Dólar fecha com alta de 0,35%, cotado a R$ 1,84

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 27 de setembro de 2011 Finanças | 13:18

Ações da área de siderurgia e metalurgia são as que mais valorizam em 2011, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

Ações da Mundial, da área de Siderurgia e Metalurgia, foram as que mais tiveram valorização em 2011, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica.

O retorno de fechamento no ano das ações, entre 31 de dezembro de 2010 e ontem (26), foi de 119,3%.

A Economatica listou as 10 ações que mais valorizam e caem em 2011 até a data de ontem, considerando somente ações com volume financeiro medio diario superior a R$ 1 milhão no ano.

Entre as empresas que registraram maior valorização em suas ações estão Mundial, IGB S/A, Panamericano e MPX Energia. Já na lista das que mais caem no mercado de ações estão Laep, em primeiro lugar, com 85,7% de desvalorização, seguida de Marfrig, Gol e Lupatech.

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 23 de setembro de 2011 Empresas | 14:56

Empresas brasileiras perdem US$ 378 bilhões em valor de mercado, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

No Brasil, 301 empresas registraram queda de US$ 378,1 bilhões no valor de mercado entre o final de 2010 e o fechamento dos mercados ontem, segundo levantamento da Economatica.

No final de 2010, as empresas brasileiras tinham valor de mercado de US$ 1,43 trilhão contra US$ 1,057 trilhão no dia 22 de setembro. A queda no ano representa uma perda de 26,4% do valor de mercado no período.

No levantamento, a Economatica analisou o valor de mercado das empresas de capital aberto da América Latina e dos EUA.

O segundo país com maior queda nominal de valor de mercado no período foi o México, com perda de US$ 100,8 bilhões de 91 empresas analisadas.

A terceira maior queda nominal de valor de mercado é do Chile, representada por 138 empresas que perderam US$ 73,7 bilhões.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 22 de setembro de 2011 Finanças | 13:04

Valorização do dólar pode corroer lucro das empresas, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

A valorização do dólar no terceiro trimestre do ano, até o dia 21 de setembro, poderá corroer o lucro EBIT das empresas em até 54,1%, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica.

Até ontem, a moeda norte-americana teve valorização de 17,1% no período.

Segundo Rivero, o estoque da dívida em moeda estrangeira de 240 empresas brasileiras de capital aberto (sem Petrobras) no mês de junho de 2011 é de US$ 51,43 bilhões, que representam R$ 80,29 bilhões (Convertidos pelo dólar Ptax venda de R$ 1,5611 de 30/06).

O mesmo estoque de junho no dia 21 de setembro de 2011 seria de R$ 94 bilhões, considerando a taxa de cambio de R$ 1,828. O crescimento do estoque da divida em reais no trimestre até o dia 21 de setembro é de R$ 13,72 bilhões.

“Considerando que o lucro EBIT das 240 empresas brasileiras de capital aberto no segundo trimestre de 2011 foi de R$ 25,36 bilhões, podemos concluir que, se o lucro EBIT no terceiro trimestre de 2011 for similar ao do segundo trimestre de 2011, 54,15% do mesmo estaria comprometido com o custo financeiro inerente à valorização da moeda norte- americana até o dia 21 de setembro”, diz.

A Petrobras, na mesma análise, teria um crescimento do seu estoque de dívida de R$ 12,51 bilhões, valor superior ao lucro EBIT que a empresa publicou no segundo trimestre de 2011, que foi de R$ 12,21 bilhões.

De acordo com Rivero, o setor com o maior estoque de dívida em moeda estrangeira da amostra é o de Energia Elétrica, seguido pelo setor de Alimentos e Bebidas.

“É muito importante notar que na análise não são consideradas as operações de Hedge (cobertura cambial) que as empresas corriqueiramente acabam efetuando”, afirma.

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 19 de agosto de 2011 Finanças | 13:46

Apenas quatro bancos têm valor de mercado superior ao patrimônio líquido entre os maiores das Américas, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

Somente quatro bancos entre os que têm ativo total superior a US$ 100 bilhões na América Latina e nos Estados Unidos têm valor de mercado superior ao patrimônio líquido, segundo levantamento de Einar Rivero, da Economatica. Três deles são brasileiros e um é dos Estados Unidos.

O Bradesco, com 1,78 vezes, é o banco com a maior relação de valor de mercado e patrimônio líquido.

O segundo lugar é do ItauUnibanco, com  1,77 vezes, seguido pelo Banco do Brasil, com 1,33 vezes.

O único banco americano da lista é o US Bancorp, com 1,25 vezes e depois dos três brasileiros.

Todos os demais 15 bancos da lista estão com valor de mercado abaixo do seu patrimônio líquido.

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 15 de agosto de 2011 Empresas | 19:18

Lucro da Petrobras é recorde para um primeiro semestre, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

O lucro de R$ 21,9 bilhões no primeiro semestre anunciado há pouco pela Petrobras é o maior para um primeiro semestre para empresas de capital aberto no Brasil, segundo Einar Rivero, da Economatica.

O valor supera os R$ 21,56 bilhões anunciados para a Vale no primeiro semestre deste ano.

O terceiro lugar também é da Petrobras, com um lucro de R$ 16 bilhões no primeiro semestre do ano passado.

Autor: Tags: , , ,

Empresas | 17:55

Google compraria Usiminas por US$ 12,5 bilhões, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

Ao anunciar a compra da Motorola Mobility hoje, por US$ 12,5 bilhões, o Google poderia, pelo menos valor, ter levado uma gigante brasileira.

Segundo cálculos de Einar Rivero, da consultoria Economatica, o montante pago pela unidade de celulares, tablets e smartphones da Motorola equivale ao valor de mercado da siderúrgica Usinimas.

“Podemos dizer que o Google pagou pela Motorola o mesmo que pagaria para comprar a Usiminas”, disse.

Autor: Tags: , , ,

Bolsa de Valores | 10:22

Com ganhos de 20,63%, Usiminas lidera grupo de sete ações que driblaram a crise, diz Economatica

Compartilhe: Twitter

Na semana em que o mercado pensou reviver a crise de 2008, sete ações da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) conseguiram ‘driblar’ a turbulência e se recuperar do mergulho do pregão do dia 8, quando o Ibovespa fechou em queda de 8,08%.

Segundo Einar Rivero, da Economatica, a campeã de retorno foi a Usiminas, que havia perdido 9,9% de rentabilidade na primeira semana de agosto, mas encerrou a sexta-feira com retorno de 20,63%.

Somente entre os dias 8 e 12, os ganhos da siderúrgica foram de 33,8%.

O segundo maior retorno em meio à crise foi a Ambev PN, que tinha perdas de 3,7% no mês, mas fechou a semana passada com ganhos de 7,67%.

A Telebras reverteu perdas de 26,6% na primeira semana de agosto, chegando a ganhos de 6,14% até o dia 12.

Completam a lista da Economatica Ambev ON (3,88%), Natura (1,79%), Minerva (1,27%) e MRV (0,52%).

Autor: Tags: , , , , ,

quarta-feira, 10 de agosto de 2011 Empresas | 18:33

Apple fecha pregão como maior empresa do mundo em valor de mercado

Compartilhe: Twitter

Pela primeira vez na história, a Apple fechou um pregão como a maior empresa do mundo em valor de mercado.

A companhia norte-americana encerrou o dia avaliada em US$ 337,1 bilhões, segundo cálculos de Einar Rivero, da Economatica.

A Exxon Mobil, antiga líder, tem valor de mercado de US$ 330,7 bilhões.

Há dez anos, a Apple valia US$ 6,6 bilhões e aparecia como a 329ª companhia do mercado. A companhia era menor que a Eletrobras, que estava avaliada em US$ 7,6 bilhões.

A terceira da lista é a Microsoft, avaliada em US$ 202,7 bilhões.

A melhor brasileira da lista é a Petrobras, avaliada em US$ 169 bilhões, que aparece na oitava colocação entre as maiores da Bolsa de Nova York.

Autor: Tags: , , , ,

terça-feira, 9 de agosto de 2011 Empresas | 12:00

Valor de mercado da Petrobras cai a nível anterior à captação do pré-sal

Compartilhe: Twitter

O valor de mercado da Petrobras está próximo dos níveis anteriores à captação realizada pela companhia para a exploração do pré-sal, que movimentou R$ 120 bilhões na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Segundo cálculos de Einar Rivero, da Economatica, a estatal tinha valor de mercado de R$ 258,9 bilhões até o fechamento de ontem.

O valor representa uma queda de R$ 66,6 bilhões somente no mês de agosto.

No dia 23 de setembro de 2010, véspera da captação da companhia na Bovespa, a estatal tinha valor de mercado de R$ 252,6 bilhões.

Há cinco meses, a Petrobras havia alcançado o topo de valor de mercado desde a captação para o pré-sal, com R$ 414,3 bilhões, segundo a Economatica.

Desde então, a companhia já perdeu R$ 155,4 bilhões.

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 4 de agosto de 2011 Empresas | 20:06

Empresas brasileiras perdem R$ 445 bilhões em valor de mercado em 2011

Compartilhe: Twitter

As companhias de capital aberto no Brasil já perderam R$ 445,2 bilhões na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) em 2011.

Os dados são de Einar Rivero, da Economatica.

A perda corresponde a praticamente duas vezes o valor de mercado da Vale, avaliado em R$ 227,6 bilhões.

No fechamento de hoje, as 304 companhias listadas na Bovespa tinham R$ 1,917 trilhão em valor de mercado.

O resultado é 18,8% menor que os R$ 2,363 trilhões de 31 de dezembro de 2010.

O setor de siderurgia e mineração teve a maior variação percentual de valor de mercado no período, com queda de 37,2%.

As 20 empresas do setor estavam avaliadas em R$ 61,9 bilhões até o fechamento de hoje, contra R$ 98,5 bilhões no fim do ano passado.

A maior perda nominal, entretanto, é do setor de petróleo e gás, com R$ 123,4 bilhões de queda em 2011.

Na avaliação por empresa, a Gol tem a maior queda percentual do período, com 60,1% de baixa (de R$ 6,77 bilhões para R$ 2,70 bilhões).

A CSN vem em seguida, com 46,4% de queda no ano.

Na outra ponta da tabela, a Telesp lidera o maior ganho em valor de mercado de 2011, com 143,9% (de R$ 20,5 bilhões para R$ 50,2 bilhões).

  • Veja os 10 setores com as maiores perdas de valor de mercado no ano:

Bolsa de valores -41,1% (de R$ 25,996 bilhões para R$ 10,687 bilhões)

Siderurgia e Metalurgia -37,2% (de R$ 98,577 bilhões para R$ 61,903 bilhões)

Instituição de intermediação de crédito -34,1% (de R$ 700 milhões para R$ 461 milhões)

Papel e Celulose -34,1% (de R$ 24,021 bilhões para R$ 15,825 bilhões)

Construção -28,9% (de R$ 56,458 bilhões para R$ 40,129 bilhões)

Agro e Pesca -28,8% (de R$ 2,948 bilhões para R$ 2,098 bilhões)

Máquinas Industriais -27,5% (de R$ 11,175 bilhões para R$ 11,175 bilhões)

Minerais -27,4% (de R$ 1,600 bilhão para R$ 1,161 bilhão)

Seguradora -27,2% (de R$ 15,191 bilhões para R$ 11,058 bilhões)

Petróleo e Gás 26,99% (de R$ 457,3 bilhões para R$ 333,9 bilhões)


  • Veja as 5 maiores baixas de valor de mercado em 2011:

Gol -60,1% (de R$ 6,774 bilhões para R$ 2,705 bilhões)

CSN -46,4% (de 38,88 bilhões para R$ 20,8 bilhões)

Gafisa -45% (de R$ 5,188 bilhões para R$ 2,851 bilhões)

OGX -45% (de R$ 64,6 bilhões para R$ 35,566 bilhões)

Hypermarcas -44,6% (de R$ 12,343 bilhões para R$ 6,834 bilhões)


  • Veja as 5 maiores altas de valor de mercado em 2011:

Telesp 143,9% (de R$ 20,598 bilhões para R$ 50,237 bilhões)

Telemar 38% (de R$ 12,381 bilhões para R$ 17,083 bilhões)

Cielo 20,7% (de R$ 19,296 bilhões para R$ 23,295 bilhões)

Eletropaulo 20,1% (de R$ 5,234 bilhões para R$ 6,286 bilhões)

Redecard 19,5% (de R$ 14,162 bilhões para R$ 16,920 bilhões)

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 2 de agosto de 2011 Empresas | 10:01

Empresas brasileiras perdem R$ 262,8 bilhões no ano em valor de mercado

Compartilhe: Twitter

As empresas brasileiras de capital aberto perderam R$ 262,8 bilhões em valor de mercado em 2011.

 O levantamento é de Einar Rivero, da Economatica, e considera os resultados até o dia 1º de agosto.

As 303 empresas brasileiras valiam R$ 2,376 trilhões em 2010. Neste ano, entretanto, o valor caiu para R$ 2,113 trilhões.

A perda equivale praticamente ao valor de mercado da Vale, que é de R$ 252,6 bilhões.  

O setor com as maiores perdas é siderurgia e metalurgia. 

As 20 empresas do segmento perderam R$ 29,3 bilhões em valor de mercado no período, representando 29,8% do total de baixas das empresas brasileiras.

 Já o setor bancário respondeu pela maior queda nominal, com R$ 82,3 bilhões em perdas de valor de mercado.

A Petrobras foi a empresa com a maior perda no período, com recuo de R$ 53,9 bilhões, uma baixa de 14,2% frente ao valor de dezembro de 2010.

A segunda maior queda é a do Banco Santander com R$ 30,5 bilhões ou 35,39%. 

Itaú Unibanco tem a terceira maior baixa, com R$ 26,7 bilhões ou 16,7% de queda.

Na outra ponta da tabela aparece o setor de telecomunicações, com alta de 27% no valor de mercado.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 18 de julho de 2011 Bolsa de Valores | 18:57

Ibovespa sofre segunda maior queda mensal desde a crise de 2008

Compartilhe: Twitter

O índice Bovespa registrou até hoje a segunda maior queda mensal desde outubro de 2008, quando começou a pior fase da crise econômica global. Nos primeiros 18 dias de julho, o Ibovespa acumula uma queda de 5,71%, resultado que só perde para a baixa de 6,64% de abril do ano passado e para outubro de 2008, quando a bolsa caiu 24,80%.

Os cálculos são de Einar Rivero, da consultoria Economática. Segundo ele, isso é um sinal de que a situação não está boa, mas não significa que estamos prestes a uma nova crise.

Rivero aponta ainda que a bolsa brasileira fecha no vermelho desde março deste ano; ou seja, se julho confirmar o resultado negativo, este será o quinto mês seguido de baixa.

O que está assustando os investidores são as incertezas sobre o futuro da Europa e dos Estados Unidos.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 21 de junho de 2011 Bolsa de Valores | 06:02

Petrobras perdeu US$ 47 bilhões no segundo trimestre, a maior queda entre as companhias abertas da América Latina e dos EUA

Compartilhe: Twitter

A Petrobras foi a companhia que registrou maior queda de valor de mercado até agora no segundo trimestre deste ano entre todas as companhias abertas da América Latina e dos Estados Unidos, segundo levantamento da Economática.

Em 31 de março deste ano, o valor de mercado da Petrobras correspondia a US$ 247,1 bilhões. Já ontem, a empresa valia US$ 199,8 bilhões, uma queda de US$ 47,2 bilhões, de acordo com cálculos de Einar Rivero, da Economática.

A perda é próxima ao valor de mercado total do Banco do Brasil, que é de US$ 48,8 bilhões.

Ontem as ações ordinárias da Petrobras terminaram em queda de 0,66%, cotadas a R$ 25,50. Os papeis preferenciais recuaram 0,60% para R$ 23,10. Já o índice Ibovespa teve alta de 0,18%, aos 61.168 pontos.

A segunda maior queda, no mesmo período, é do Google, cujo valor de mercado caiu US$ 32,5 bilhões (de US$ 188,7 bilhões para US$ 156,1 bilhões). Em terceiro, a Apple (o valor caiu de US$ 321 bilhões para US$ 291,5 bilhões), com uma perda de US$ 29,4 bilhões.

Em quarto, está o Bank of America, cujo valor caiu de US$ 135 bilhões para US$ 107,4 bilhões – um recuo de US$ 27,5 bilhões.

Em seguida, aparece o Wells Fargo, com uma perda no valor de mercado de US$ 24,5 bilhões (de US$ 167 bilhões para US$ 142,5 bilhões).

A segunda companhia brasileira com maior perda do mercado é Vale, que aparece no 16º lugar no ranking das empresas abertas da América Latina e dos Estados Unidos. No mesmo período, o valor da Vale caiu de US$ 163,6 bilhões para US$ 150,8 bilhões, uma queda de US$ 12,7 bilhões.

Já a terceira brasileira com pior desempenho é a OGX, de Eike Batista, em 20º no ranking. A perda da OGX é de US$ 10,4 bilhões (uma queda de US$ 39 bilhões para US$ 28,6 bilhões).

Segundo analistas do mercado, o desempenho da Petrobras este ano está sendo bastante afetado pela excessiva interferência do governo na empresa.

Na sexta-feira passada, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, presidente do conselho da Petrobras, reprovou pela segunda vez o plano de investimento da empresa para os anos de 2011 a 2015.

Nunca o governo federal foi tão duro com a Petrobras.

O governo deu dez dias para a companhia apresentar um novo plano. A Petrobras pretendia investir US$ 250 bilhões, mas, na próxima revisão, o plano deve baixar para o patamar atual, de US$ 224 bilhões.

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 13 de maio de 2011 Commodities, Empresas, Energia | 19:00

Lucro da Petrobras é o segundo maior da história

Compartilhe: Twitter

A Petrobras reafirmou a segunda posição entre os maiores lucros da história das companhias abertas brasileiras em primeiros trimestres.

O resultado de R$ 10,98 bilhões fica atrás apenas do lucro líquido da Vale, de R$ 11,29 bilhões obtido no primeiro trimestre deste ano.

Os cálculos são de Einar Rivero, da Consultoria Economatica.

Conforme os dados, o lucro obtido pela Petrobras supera o recorde anterior da companhia, R$ 7,726 bilhões, registrado no primeiro trimestre do ano passado.

Leia também:

Lucro da Petrobras cresce 42% no trimestre e atinge recorde 

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 10 de maio de 2011 Empresas, Finanças | 07:23

Lucro do Banco do Brasil chega a R$ 2,93 bilhões e é terceiro maior da história dos bancos

Compartilhe: Twitter

O Banco do Brasil anunciou nesta manhã um resultado recorde para o primeiro trimestre, lucro líquido de R$ 2,93 bilhões. Trata-se do terceiro maior lucro da história entre as instituições financeiras para o período.

Segundo dados compilados por Einar Rivero, da Economatica, o lucro líquido do BB fica atrás apenas dos resultados do Itaú Unibanco no primeiro trimestre deste ano e de 2010, respectivamente, R$ 3,53 bilhões e R$ 3,2 bilhões. Na sequência, aparece o lucro líquido do Bradesco apurado no primeiro trimestre também deste ano, R$ 2,7 bilhões.

O resultado do BB no período significa um crescimento de 24,7% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. De acordo com o BB, o lucro foi impulsionado pela carteira de crédito, que avançou 21,1%, e à queda de 13,1% nas despesas.

Leia também:

Banco do Brasil destaca retorno da inadimplência ao patamar pré-crise

Expansão da carteira de crédito de grandes bancos vai na contramão de medidas do governo, diz Alex Agostini

Banco do Brasil foi o que menos elevou a carteira de crédito entre os grandes bancos

Lucro do Itaú Unibanco é o maior da história entre bancos

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última